Um retrato da aviação nacional

Atualizado: Ago 29



O Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) divulgou recentemente o Anuário Estatístico de Tráfego Aéreo. O documento traz informações que retratam como está a aviação nacional no Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB).

No Ranking 2020, que compreende Pousos + Decolagens + Cruzamentos + TGL (toque e arremetida) entre 32 aeródromos que fazem parte do SISCEAB, Guarulhos aparece na primeira posição. A variação anual 2019/2020, quando se comparam os mesmos índices, no Aeroporto Internacional de São Paulo foi de - 46,5%. A média de voos diários registrada foi de 436. O total de operações do aeroporto em 2020 teve uma redução de 138.555 movimentos. As aviações Comercial, Geral e Militar apresentaram totais de movimentos de 149.707, 7.453 e 2.492, respectivamente.


Recuperação gradual e monitoramento em tempo real


A previsão da demanda do tráfego aéreo na avaliação do CGNA tem sido fortemente impactada pela pandemia da COVID-19. Ela leva em consideração as tendências da indústria, cuja demanda nacional registrou redução de 49,4% das operações entre março e dezembro de 2020, quando comparadas com 2019.

Os números mostram que após a declaração da pandemia pela Organização Mundial de Saúde, em março de 2020, a demanda de tráfego aéreo no espaço aéreo brasileiro, em comparação a 2019, chegou a 19%, em abril, com uma redução de 81%. Ela foi se recuperando mês a mês, fechando a última semana de dezembro com 72% e redução de 28% das operações. Já na evolução do cenário de 2020 e previsão para 2021, a estimativa é que a demanda esteja em 92% com redução de 8%, em dezembro deste ano.

Para projeção dos dados as fontes de consulta foram o Sistema de Registro de Operações e o TATIC FLOW, ferramenta de gerenciamento de tráfego aéreo baseada na web. Ele permite o monitoramento do status em tempo real dos voos em diferentes aeroportos simultaneamente ou individualmente, usando dados fornecidos pelo módulo TATIC TWR. Essas informações são utilizadas para prever com precisão o tráfego de partida e chegada em todo o sistema, reduzindo atrasos e aumentando a segurança operacional no tráfego aéreo em todo o país.


Fonte: Pesquisa (Anuário Estatístico de Tráfego Aéreo e Previsão de Demanda para 2021 - Subdivisão de Pós-Operações/CGNA).

21 visualizações

Posts recentes

Ver tudo