• Wagner Marques - Marketing & Comunicação

Saipher ATC na 3rd IAA Conference on Space Situation Awareness


A Saipher ATC participou da terceira Conferência da Academia Internacional de Astronáutica (IAA) sobre Consciência Situacional Espacial (SSA) realizada em Madrid, na Espanha. O Diretor de Inovação e Novos Negócios, da Saipher ATC, Brigadeiro do Ar R1 José Vagner Vital e o Engenheiro Espacial, Guilherme Marcos Neves estiveram no evento, mostrando as recentes ações da empresa ligadas ao setor espacial. Foi a primeira apresentação pública da vertente espacial da SAIPHER para a comunidade, que agora conta com uma empresa de tecnologia aeroespacial brasileira para prestação de serviços SSA.

Entre as atividades do evento, um destaque foi bastante positivo para o Brasil. O Professor Doutor, Antonio Fernando Bertachini de Almeida Prado, pesquisador e Professor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), recebeu a honra de se tornar membro da International Academy of Astronautics (IAA), a qual mantém um grupo restrito de professores membros (apenas 1200 membros, no mundo inteiro). O processo para tal aprovação envolve uma eleição interna que reflete e prestigia a brilhante carreira do Professor. Ele já é membro da International Astronautical Federation (IAF), há três anos, e pesquisador PQ1 da CAPES, o maior nível de classificação no Brasil.


Apresentação do paper


Para a Conferência foi preparado o paper “Arquitetura STM preliminar usando sensores de radar legados para aplicações iniciais de domínio espacial para melhorar a segurança e proteção espacial no Brasil”, desenvolvido por José Vagner Vital (Saipher), Eduardo Vergueiro Loures da Costa (ITA), Wagner Frederico Cesar Mahler (Saipher), e Guilherme Marcos Neves (Saipher). O trabalho também teve importantes participações dos operadores do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), Hareton Ribeiro Gomes, José Marcos Leal Barbosa Filho, Francisval Guedes Soares, Alann Karllo Gomes Xavier Marinho e do PhD Glauberto Leilson Alves de Albuquerque (Universidadeda Federal do Rio Grande do Norte – UFRN).

De acordo com o documento, o número de atividades em órbitas LEO (do inglês Low Earth Orbit) cresce a cada ano. O que torna o nível de confiabilidade dos sistemas usados para aumentar a resiliência dos sistemas espaciais e manter tudo que está operando, ou que ainda entrará em operação, fator de fundamental importância para agências, empresas e organizações civis ou militares envolvidas.

Para lidar com a questão, a Consciência Situacional Espacial (SSA), a Consciência do Domínio Espacial (SDA) e os tópicos de Gerenciamento de Tráfego Espacial (STM) estão cada vez mais presentes na pauta da comunidade espacial. Em 2012, o Brasil publicou o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), que tem o Sistema de Monitoramento Espacial (MOE) entre seus projetos. O MOE segue as premissas do United States Strategic Command (USSTRATCOM), vislumbrando um sistema brasileiro de rastreamento, classificação, e caracterização de objetos orbitais, identificação de cargas úteis e análise de risco.

Em maio de 2021, o Brasil iniciou as atividades de rastreamento usando o radar de trajetória BEARN, operado pelo Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). Para atingir os objetivos do MOE para os sistemas SSA/SDA previstos no PESE é necessário um ambiente adequado com um ecossistema da indústria e instituições militares trabalhando juntos, usando os serviços automatizados disponíveis para realizar o monitoramento do espaço e criar um sistema de integração de dados com os centros de sensoriamento, possibilitando aplicações do STM.

O artigo contribui para essa visão e tem como objetivo apresentar uma arquitetura preliminar usando os radares de trajetografia ATLAS e BEARN, situados nos centros de lançamento de Alcântara e da Barreira do Inferno, amplamente operados para monitoramento da trajetória de veículos lançados dessas localidades, alimentado pelos resultados de um sistema de cálculo automatizado para órbita propagação. Os elementos orbitais são determinados com base nos dados de rastreamento do sensores legados e comparados com os dados coletados do banco de dados de elementos orbitais para validação, observando a variação desses parâmetros dentro do intervalo de tempo das exibições. O rastreio efetuado no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) foi possível graças ao empenho de toda equipe operacional do radar, em especial dos operadores Pinheiro Júnior e Durceni Moreira que realizaram a triagem presente no trabalho.


A IAA Coference


O evento for marcado pela discussão ampla de aspectos técnicos e políticos relacionados à Consciência do Domínio Espacial (SSA), que nas últimas duas décadas, evoluiu para um campo de pesquisa multidisciplinar de alto impacto.

De acordo com a organização da conferência, a magnitude e a complexidade de suas linhas constituintes de investigação crescem em ritmo acelerado, impulsionadas pelo número crescente de objetos de interesse, incluindo objetos espaciais residentes: os RSOs (coletivo para espaçonaves ativas e detritos espaciais), bem como objetos próximos da Terra: NEOs (cometas e asteroides nas proximidades da Terra).

A SSA hoje envolve uma série de áreas de atuação. Além de pesquisas em detecção de RSO / NEO, identificação, previsão, rastreamento, associação, avaliação de risco, alocação de recursos, controle de naves espaciais, informação e comunicação, operações de proximidade, remoção de detritos, clima espacial, arrasto - reentrada controlada, tecnologias alternativas (não propulsivas) de desorbitação, questões de responsabilidade e seguro e uma série de outros tópicos relacionados.

Participaram da 3rd IAA Conference on Space Situation Awarness 30 palestrantes, 70 conferencistas entre representantes de agências espaciais, universidades e as principais empresas do setor. Dentre estas instituições, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) esteve representado pelo Professor Dr. Willer Gomes dos Santos.








28 visualizações

Posts recentes

Ver tudo